quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Quando a Cruz é trocada pela Foice e Martelo

Saudações queridos leitores!

Um dos meus esportes intelectuais favoritos é bater na chamada "esquerda católica", aquele grupo que defende ideologias assassinas, exalta tiranetes homicidas que subjugam seus povos e prega tudo o que não faz parte da Doutrina da Igreja.

Com o afastamento de Fidel Castro, que já vai tarde, esses grupos estão em polvorosa. Tratam de defender sua tirania assassina como se Cuba fosse um exemplo do humanismo a ser seguido no restante do mundo. Os ditadores supostamente de direita, como Pinochet, Salazar e Franco são condenados pelas suas barbáries e devem mesmo. Nenhum regime deve ser totalitário. Mas parece que para os assassinos de esquerda como Fidel, Che Guevara, Pol Pot e Stálin há uma certa concessão.

Já escrevi aqui várias vezes porque um Católico está proibido de ter qualquer associação com organizações de esquerda. Mas, mesmo com essa proibição, muitos católicos ainda se identificam e se envolvem com as ideologias esquerdistas. Um dos expoentes da chamada "esquerda católica" é Frei Betto. Ele, que condena a ditadura pela qual o Brasil passou (o que acho certo), não dá o mesmo tratamento ao regime homicida que governa Cuba a quase 50 anos.

Os Católicos que trocam a cruz pela foice e pelo martelo entram em um abismo intelectual que vai deformando consciências e o senso lógico, fazendo-os renunciar a preceitos fundamentais do catolicismo. É regra vermos que todo Católico que se diz de esquerda nega vários dogmas, o caráter da Missa, a impossibilidade de salvação fora da Igreja, entre outros preceitos fundamentais da Fé.

Em seu lugar pregam uma falsa tolerância, condescendente com os crimes cometidos por aqueles que compartilham sua ideologia, vê-se uma deturpação do senso moral que os leva a aceitar um erro cometido por outro esquerdista, mas condenam ferozmente o mesmo erro se é cometido por alguém que não comungue de seus ideais. Renunciam à individualidade e ao fruto legítimo do trabalho em nome de uma igualdade que só consegue tornar as pessoas igualmente miseráveis. Em todo lugar onde a ideologia esquerdista se instalou ocorreram grandes massacres, ditaduras corruptas, fome e desolação. Ainda é assim: Coréia do Norte, Cuba, Venezuela, Camboja... todos esses países foram devastados por um ideal claramente errado.

Diversos Papas condenaram o comunismo em todas as suas formas, passadas, presentes e futuras. Todo o fiel que compactua com o comunismo está excomungado latae sententiae. No Brasil essas condenações são solenemente ignoradas, vide o número de fiéis e até mesmo sacerdotes que rezam pelos seus ídolos comunistas e abandonam a Cristo. Por nossas bandas o estrago começou com Leonardo "Genésio" Boff, que apostatou formalmente após ser censurado pela Igreja por publicar livros com graves deformações doutrinárias. Outro apóstata que se faz de vítima da ditadura até hoje é Frei Betto, Dominicano, que ainda é Frei por uma condescendência que deve fazer São Domingos de Gusmão e São Tomás de Aquino chorar nos céus. Marcelo Barros é outra voz a proferir asneiras pelos quatro cantos, sempre com sua pseudo-teologia ecológica que deixa o pecador ao léu enquanto nos manda plantar mudas.

Sei que serei xingado pelas minhas palavras, mas a patrulha ideológica existente em nosso país promove um linchamento moral para quem critica a Santíssima Trindade dos esquerdistas. O trio Boff-Betto-Barros é hoje em dia um produtos mais nocivos da teologia da foice e do martelo.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: