terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Frei Betto fala sobre seu messias

Saudações queridos leitores!

Frei Betto é um herege que se reveste de teólogo dominicano. Fique com suas heresias pelo UOL (íntegra aqui), volto depois.

É ilusão pensar que é o fim do socialismo, diz Frei Betto

Em entrevista ao UOL News, o teólogo Frei Betto, autor do livro "Fidel e a religião", afirmou que a renúncia do líder cubano Fidel Castro não significa o fim do socialismo e descartou que Cuba esteja vivenciando tardiamente o "efeito dominó" da falência da União Soviética.

"É ilusão [pensar] que aquilo ali representará o fim do socialismo, o fracasso da revolução, um retrocesso aos avanços já obtidos", falou. "Não há nenhum setor significativo dentro da sociedade cubana hoje interessado na volta do capitalismo", continuou.

O teólogo acredita que, apesar da renúncia, Castro não deixará o debate político em Cuba e que o líder tomou essa atitude "para deixar o campo mais livre para uma possível e provável eleição do seu irmão Raúl Castro, que vai substituí-lo nas funções de presidente do Conselho de Estado, presidente do Conselho de Ministros e comandante-chefe da Revolução".

Voltei. Frei Betto é uma das coisas que não entendo na Igreja. Como um cara que apóia um fascínora, que desobedece tão despudoradamente a Igreja continua a manter o status de Dominicano? Seu status como frei envergonha o nome dos dominicanos, que foram responsáveis por ninguém menos que São Tomás de Aquino.

Mas infelizmente o que ele disse é verdade. Não é porque Fidel Castro renunciou ao poder de Cuba que a situação vai melhorar. As mudanças necessárias dependem de muitos outros fatores. Há tempo que Fidel já está fora do poder, a oficialização tem um impacto muito menor e um valor simbólico maior.

O comunismo já acabou. Já deu errado a muito tempo. Só moleques intelectuais ainda acreditam nele.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: