domingo, 24 de fevereiro de 2008

Evangelho de Domingo - 3º Domingo da Quaresma (semana III do saltério)

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários de Madre Tereza de Calcutá.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João.

Evangelho (Jo 4,5-42 (3º Domingo da Quaresma (semana III do saltério))

5Chega, pois, a uma cidade da Samaria chamada Sicar, perto da fazenda que Jacob havia dado ao seu filho José. 6Era ali a Fonte de Jacob. E Jesus, cansado da caminhada, senta-Se sem mais junto da fonte. Era por volta da hora sexta.
7Chega uma mulher da Samaria, para tirar água. Diz-lhe Jesus: Dá-me de beber. 8É que os discípulos tinham ido à cidade comprar mantimentos. 9Responde-Lhe então a samaritana: Como é que Tu, que és judeu, me pedes de beber, sendo eu samaritana? É que os Judeus não se dão com os Samaritanos. 10Responde-lhe Jesus: Se conhecesses o dom de Deus e quem é Aquele que te diz: "dá-me de beber", tu é que Lhe terias pedido, e Ele ter-te-ia dado uma água viva. 11Senhor - diz-Lhe a mulher - nem sequer tens um balde, e o poço é fundo; donde Te vem então a água viva? 12Serás Tu maior que o nosso pai Jacob, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, assim como os seus filhos e os seus animais? 13Responde-lhe Jesus: Todo aquele que bebe desta água de novo terá sede! 14Aquele, porém, que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede, mas a água que Eu lhe der tornar-se-á nele uma nascente de água a jorrar para a vida eterna. 15Senhor - responde-Lhe a mulher - dá-me dessa água, para eu não ter sede nem vir aqui tirá-la. 16Ele diz-lhe: Vai chamar o teu marido e volta cá. 17Responde-Lhe a mulher: Não tenho marido. Jesus retorquiu-lhe: Disseste bem: "não tenho marido", 18pois tiveste cinco maridos e aquele que tens agora não é teu; quanto a isso, falaste verdade.
19Senhor - diz-Lhe a mulher - vejo que és profeta. 20Os nossos pais adoraram neste monte; e vós dizeis que em Jerusalém é que está o sítio onde se deve adorar. 21Mulher - replica-lhe Jesus - podes acreditar-Me: vai chegar a hora em que, nem neste monte, nem em Jerusalém, haveis de adorar o Pai. 22Vós adorais o que não conheceis, nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos Judeus. 23Mas vai chegar a hora - e é já - em que os verdadeiros adoradores hão-de adorar o Pai em espírito e em verdade, pois o Pai pretende que tais sejam os Seus adoradores. 24Deus é espírito, e os Seus adoradores em espírito e em verdade é que O devem adorar. 25Diz-Lhe a mulher: Eu sei que há-de vir o Messias - que quer dizer Ungido. Quando Ele vier, tudo nos há-de manifestar. 26Diz-lhe Jesus: Sou Eu, que estou a falar contigo.
27Nisto, vieram os discípulos, que ficaram admirados por Ele estar a falar com uma mulher; nenhum, porém, perguntou: "que pretendes?" ou: "porque estás a falar com ela?". 28A mulher, então, deixando a bilha, foi à cidade e disse aos homens: 29Vinde ver um homem que me disse tudo o que eu fiz. Não será Ele o Messias? 30Eles saíram da cidade e vieram ter com Jesus.
31Entretanto, os discípulos instavam com Ele, dizendo: Come, Rabi. 32Mas Ele respondeu-lhes: Eu tenho um alimento para comer que vós não conheceis! 33Diziam então os discípulos entre si: Acaso Lhe trouxe alguém de comer? 34Diz-lhes Jesus: O Meu alimento é fazer a vontade d'Aquele que Me enviou e realizar a Sua obra. 35Não dizeis vós: "Ainda há quatro meses até vir a ceifa"? Pois bem, Eu digo-vos: Erguei os olhos e vede: os campos estão brancos para a ceifa. 36Já o ceifeiro recebe o salário e colhe fruto para a vida eterna, de modo que o semeador se alegra juntamente com o ceifeiro. 37Pois nisto se verifica o ditado: "Um é o que semeia e outro o que ceifa". 38Eu mandei-vos a ceifar o que vós não trabalhastes. Outros trabalharam, e vós viestes encontrar o seu trabalho.
39Daquela cidade, muitos dos Samaritanos acreditaram n'Ele, por causa da palavra da mulher, que atestava: Ele disse-me tudo o que eu fiz! 40Por isso, quando os Samaritanos vieram ao Seu encontro, pediram-Lhe que ficasse com eles. E ficou lá dois dias. 41Muitos mais acreditaram por causa da Sua palavra 42e diziam à mulher: Já não é por causa da tua fala que nós acreditamos; nós próprios ouvimos e sabemos que Ele é realmente o Salvador do mundo!

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho do dia feito por :

Bem-aventurada Teresa de Calcutá (1910-1997), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade
Carta a toda a sua comunidade, dita “Testamento espiritual”

“Dá-me de beber”

As palavras de Jesus “Tenho sede” (Jo 19,28), que estão escritas na parede de todas as nossas capelas, não fazem parte do passado mas estão vivas, aqui e agora; elas são ditas para vós. Acreditais nisso? Se sim, ouvireis e sentireis a sua presença. Deixai-o tornar-se tão íntimo em vós como ele o é em mim; essa será a maior alegria que lhe podereis oferecer. Tentarei ajudar-vos a compreender isso, mas é Jesus, ele próprio, o único a poder dizer-vos “Tenho sede!” Escutai o vosso próprio nome. E não apenas uma vez. Todos os dias. Se escutardes com o vosso coração, vós ouvireis, vós compreendereis.

Porque é que Jesus disse: “Tenho sede”? Qual é o sentido? É tão difícil de explicar por palavras… Contudo, se deveis reter alguma coisa desta carta, que seja esta: “Tenho sede” é uma palavra muito mais profunda do que se Jesus tivesse simplesmente dito “Amo-vos”. Enquanto não souberdes, e de uma forma muito íntima, que Jesus tem sede de vós, ser-vos-á impossível saber o que ele quer ser para vós; nem o que ele quer que vós sejais para ele. O coração e a alma das Missionárias da Caridade consistem exclusivamente nisto: a sede do coração de Jesus, escondida nos pobres. Eis a única fonte de toda a nossa vida. Ela dá-vos, ao mesmo tempo o objectivo… e o espírito da nossa Congregação. Estancar a sede de Jesus vivo no meio de nós é a nossa única razão de ser e o nosso único objectivo. Podemos dizer o mesmo de nós próprias, a saber, que essa é a nossa única razão de viver?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: