domingo, 17 de fevereiro de 2008

Evangelho de Domingo - 2º Domingo da Quaresma (semana II do saltério)

Saudações queridos leitores!

Segue abaixo o Santo Evangelho desse domingo, dia do Senhor, com comentários de São Leão Magno.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.

Evangelho (Mt 17,1-9 (2º Domingo da Quaresma (semana II do saltério)))

1Seis dias depois, tomou Jesus a Pedro, a Tiago e a João, irmão deste, levou-os sós a um monte alto 2e transfigurou-Se diante deles. O Seu rosto brilhou como o Sol, e os vestidos tornaram-se brancos como a luz. 3Senão quando, apareceram-lhes Moisés e Elias a conversar com Ele. 4E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, é bom estarmos nós aqui. Se queres, faço aqui três tendas: uma para Ti, outra para Moisés e outra para Elias. 5Falava ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu, e uma voz, saída da nuvem, disse: Este é o Meu Filho amado, no qual pus as Minhas complacências. Ouvi-O!

6Os discípulos, ao ouvirem a voz, caíram de rosto por terra e ficaram transidos de medo. 7Mas Jesus aproximou-Se e, tocando-os, disse: Erguei-vos e não temais. 8E eles, levantando os olhos, não viram ninguém, senão a Jesus só. 9Ao descerem do monte, ordenou-lhes Jesus: Não conteis a ninguém esta visão, até que o Filho do homem ressuscite dos mortos.

Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho feito por São Leão Magno (? - c. 461), papa e doutor da Igreja

Sermão 51

"Este é o meu Filho bem-amado...; escutai-O!"

Os apóstolos, que precisavam de ser confirmados na sua fé, receberam no prodígio da Transfiguração um ensinamento adequado para os levar ao conhecimento de todas as coisas. Com efeito, Moisés e Elias, quer dizer, a Lei e os profetas, apareceram conversando com o Senhor... Tal como diz S. João: "A Lei foi comunicada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo" (1,17).

O apóstolo Pedro estava, por assim dizer, arrebatado em êxtase com o desejo dos bens eternos; cheio de alegria com tal visão, desejava habitar com Jesus naquele lugar em que a Sua glória, assim manifestada, o cumulava de júbilo. Por isso, diz: "Senhor, é bom estarmos aqui; se quiseres, farei aqui três tendas, uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias". Mas o Senhor não respondeu a esta proposta, querendo naturalmente mostrar não que aquele desejo era mau mas que era deslocado. Porque o mundo só podia ser salvo pela morte de Cristo e o exemplo do Senhor exortava a fé dos crentes a compreender que, sem que nos seja permitido duvidar da felicidade prometida, é preciso, no meio das tentações desta vida, pedir mais a paciência do que a glória, porque a felicidade do Reino não pode preceder o tempo do sofrimento.

Foi por isso que, enquanto ele falava ainda, uma nuvem luminosa os envolveu e do meio da nuvem uma voz proclamou: "Este é o meu Filho bem-amado, em quem pus todo o meu amor; escutai-O"... "Este é o meu Filho, por Ele tudo foi feito e sem Ele nada foi feito" (Jo 1,3). Tudo o que Eu faço, Ele o faz também; tudo o que Eu realizo, Ele o realiza comigo, inseparavelmente, sem diferença (Jo 5,17-19)... Este é o meu Filho, que não se apropriou ciosamente dessa igualdade que tinha comigo, não reivindicou o seu direito, mas, sem deixar a minha glória divina, humilhou-se até à condição de servo (Fl 2,6sg), para cumprir o nosso desígnio comum da restauração do género humano. Escutai pois sem hesitações Aquele que tem toda a minha complacência, Aquele cuja doutrina me revela, cuja humanidade me glorifica, porque Ele é a Verdade e a Vida (Jo 14,6). Ele é o meu poder e a minha sabedoria (1Co 1,24). Escutai-O, a Ele que resgata o mundo com o seu sangue..., a Ele que abre o caminho do céu pelo suplício da sua cruz.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: