quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Ato de reparação em Catedral argentina profanada por Mães da Praça de Maio

Saudações queridos leitores!

A tempos que as Mães da Praça de Maio se desvirtuaram do grupo de mães em busca de seus filhos desaparecidos durante a ditadura para um grupo de feministas embusteiras que lutam contra a Igreja. Fiquem com reportagem de ACI, volto depois.

Anunciam ato de reparação em Catedral argentina profanada por Mães da Praça de Maio

.- Nesta sexta-feira, um grupo de leigos argentinos convocou às 18:30 um ato de reparação na Catedral de Buenos Aires pela recente profanação do templo protagonizada pelas Mães da Praça de Maio e um grupo de vândalos.

Os organizadores do ato anunciaram que rezarão o Santo Rosário "sem ódios, sem cartazes, sem gritos estridentes, em um clima de silêncio e oração profunda para que Deus perdoe nossas ofensas como nós perdoamos a quem ofende".

"Se as portas da Catedral estão fechadas, rezaremos o Santo Rosário no átrio, recordando que igualmente Deus estará presente nos ouvindo, com o coração de Pai.

Se estiverem abertas as portas nos colocaremos diante do Santíssimo, que fica no fundo do lado direito da nave lateral direita", explicaram os organizadores em uma mensagem chegada a esta redação.

Do mesmo modo, pedem aos participantes não responder diante da possibilidade de que apareçam grupos provocadores, "já que fazê-lo é cair em seus planos de perturbar o ato de piedade com ódio que não conduz a nada bom", adicionaram.

Em 29 de janeiro passado, um grupo de seis Mães da Praça de Maio, encabeçado por sua presidenta Hebe de Bonafini, tomaram a Catedral Metropolitana para jejuar em protesto pela falta de entrega de recursos estatais destinados a seus projetos de moradias populares na capital argentina.

Bonafini declarou à imprensa que como os serviços higiênicos da catedral estavam fechados, "tivemos que improvisar um, atrás do altar".

A ativista é conhecida por seu anti-catolicismo. Em uma ocasião lhe desejou a morte ao Papa João Paulo II e após seu falecimento assegurou que o Pontífice iria "ao inferno". Deste modo festejou os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Voltei. Não condeno aquelas que realmente procuram pistas de seus filhos desaparecidos, mas já faz muito tempo que o grupo deixou de ter essa orientação. Vejam o tipo de protesto que elas promovem hoje em dia. Na minha terra isso tem um nome: vandalismo. Na minha terra a Lei diz que quem comete esse tipo de crime vai em cana, mas nada acontece a elas.

Vejam até onde chegou o disparate: transformaram a parte de trás do altar em banheiro! Uma profanação dessas não deveria ficar impune de modo algum! O caráter da líder da Gangue da Praça de Maio demonstrou claramente seu caráter ao fazer isso e ao desejar a morte do Santo Padre, João Paulo II, de grande memória.

Uma mulher como essas não devia ser mãe. Enquanto finge chorar o desaparecimento de seu filho, festeja a morte de 5000 pessoas nos atentados nos Estados Unidos. Uma mulher dessas certamente não presta para ser uma verdadeira mãe.

Que Deus nos livre das Embusteiras da Praça de Maio!

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: