domingo, 6 de janeiro de 2008

Papa pede fim da violência no Paquistão

Saudações queridos leitores!

Fiquem com notícia de ZENIT, volto depois. Fonte aqui.

Assassinato de Benazir Bhutto: Papa pede fim da violência no Paquistão

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 1 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI lançou um apelo ao fim da violência no Paquistão, em uma mensagem de pêsames enviada após tomar conhecimento do assassinato da senhora Benazir Bhutto, ex-primeira-ministra desse país.

Bhutto, líder opositora, foi assassinada no dia 27 de dezembro, após pronunciar um discurso no parque da cidade de Rawalpindi, próxima a Islamabad, quando um terrorista suicida detonou uma carga explosiva que deixou 28 mortos.

Em uma mensagem enviada pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, ao presidente da Conferência dos Bispos Católicos do Paquistão, o arcebispo Lawrence John Saldanha, o Papa "expressa sentimentos de profunda proximidade espiritual aos membros de sua família e a toda a nação".

O Santo Padre "reza para que se evite a violência e para que se faça todo esforço para construir um clima de respeito e confiança, tão necessário para manter a ordem na sociedade e para que as instituições políticas do país possam operar de maneira efetiva".

Voltei. O assassinato de Benazir Bhutto traz mais empecilhos para a paz no Paquistão. No momento, o principal interessado na instalação do caos é o governo de Musharraf, que tem a Al Qaeda como um bode expiatório e pode utilizar o fato para manter o controle militar sob o país. O atual governo não vai sair do poder tão cedo, a não ser que haja uma pressão internacional muito maior do que a que ocorre hoje. É de causar indignação a situação em que se encontra o Paquistão. Rezemos para que a paz alcance a todos que necessitam dela.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: