domingo, 23 de dezembro de 2007

Falece o cardeal Aloísio Lorscheider

Saudações queridos leitores!

É com grande tristeza que noticio, nessa antevéspera de Natal, o falecimento do Cardeal Dom Aloísio Lorscheider. Fiquem com notícia de ZENIT (fonte aqui).

Falece o cardeal Aloísio Lorscheider

Arcebispo emérito de Aparecida

Por José Caetano

PORTO ALEGRE, domingo, 23 de dezembro de 2007 (ZENIT.org).- Faleceu na manhã desse domingo, às 5h20, na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, aos 83 anos, o arcebispo emérito de Aparecida, cardeal Aloísio Lorscheider, OFM.

O purpurado, que também foi Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), estava internado na UTI do Hospital São Francisco, na capital gaúcha, desde o dia 10 de dezembro passado, quando sofreu uma convulsão de origem cardíaca, segundo notícia publicada nosite da CNBB.

Nascido em Estrela, Rio Grande do Sul, em 08 de outubro de 1924, ingressou em 1934 no seminário dos padres franciscanos, em Taquari, onde cursou até o ensino médio. EM 1942 fez o noviciado e cursou o primeiro ano de filosofia no Convento São Boaventura, em Garilbaldi, no sul do país. Em 1944 foi transferido para o Convento Santo Antonio, em Divinópolis, Minas Gerais, onde terminou a filosofia e cursou teologia. Nascido como Leo Arlindo Lorscheider, nesse período adotou o nome religioso de Frei Aloísio, conservando-o até hoje.

Em 22 de agosto de 1948 foi ordenado sacerdote em na mesma cidade de Divinópolis, e no mesmo ano foi enviado a Roma, onde fez especialização em Teologia Dogmática no PontíficioAteneu Antonianum, defendendo sua tese de doutorado em 1952, recebendo o título com nota máxima.

Foi professor no Seminário Seráfico, Taquari, RS e, posteriormente, foi nomeado professor de Teologia Dogmática no Convento Santo Antonio, em Divinópolis. Ocupou os cargos de Comissário Provincial da Ordem Franciscana Secular, Conselheiro Pronvicial e Mestre dos Estudantes de Teologia e dos Candidatos ao estado de Irmão Franciscano.

Em 1958, fez parte do Congresso Mariológico Internacional, em Lourdes, França e foi chamado a Roma para lecionar Teologia Dogmática no Antonianum. No ano seguinte foi nomeado Visitador Geral para a Província Franciscana de Portugal e também recebeu o encargo de Mestre dos Padres Franciscanos, estudantes nas várias Universidades de Roma.

Em 3 de fevereiro de 1962 foi nomeado pelo Papa João XXIII bispo da recém-criada Diocese de Santo Ângelo, no sul do Brasil. Recebendo a ordenação episcopal em 20 de maio de 1962 e adotando o lema «In Cruce Salus Et Vita» – Na Cruz, a Salvação e a Vida –.

Em novembro de 1963 foi eleito pela Assembléia do Concílio Vaticano II como membro das Comissões Conciliares, especificamente para a Secretaria de União dos Cristãos.

Desempenhou o cargo de Secretário Geral da CNBB e duas vezes Presidente do mesmo órgão episcopal. Foi eleito primeiro vice-presidente do Conselho Episcopal Latino-americano(CELAM) por duas vezes, e em 1976, assumiu a presidência do Conselho. Também foi eleito vice-presidente da Cáritas Internacional e chegou a assumir a presidência da organização caritativa da Igreja em 1974.

Em 4 de abril de 1973, o Papa Paulo VI o nomeou Arcebispo de Fortaleza, no Brasil e em 24 de abril de 1976 o mesmo Papa o nomeou Cardeal.

Em julho de 1995 foi nomeado Arcebispo de Aparecida e em 1997 recebeu o Pálio das mãos de João Paulo II, tendo, no mesmo ano, participado do Sínodo dos Bispos para a América.

Em 28 de janeiro de 2004 recebeu a notícia a aceitação de sua renúncia ao governo pastoral da Arquidiocese, tendo lhe sucedido no múnus Dom Raymundo Damasceno Assis. Desde então, o cardeal Aloísio Lorscheider retornou à cidade de Porto Alegre, para o convento dos Franciscanos.

A CNBB publicou uma nota de falecimento do cardeal, lembrando que ele é «admirado por sua inteligência e santidade, dom Aloísio tornou-se uma referência para o episcopado brasileiro pelo testemunho de amor e coragem na defesa dos mais empobrecidos, fruto de sua de fé em Jesus Cristo e de seu zelo no serviço à Igreja».

Seu sucessor, D. Raymundo Damasceno, enviou hoje a Zenit uma nota de falecimento manifestando seu pesar pela perdão do «querido irmão no episcopado» e rogando «a todos que conheceram Dom Aloísio e se beneficiaram de seu ministério, para que peçam a Deus, por intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria, de quem foi grande devoto, de São José e de São Francisco que o atraiu à vida religiosa franciscana, que receba na sua glória, o querido irmão, que O amou e O serviu fielmente durante toda vida».

Seu corpo será velado na Catedral de Porto Alegre e o sepultamento será no Convento de Daltro Filho a 130 km de Porto Alegre. O dia e o horário do sepultamento ainda não foram definidos.

(Com CNBB, Arquidiocese de Aparecida)


Que Dom Aloísio descanse em paz junto a Nosso Senhor.

Fiquem com Deus,
Fernando.

Nenhum comentário: