quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Padre Júlio Lancelotti recebe Prêmio Direitos Humanos 2007

Saudações queridos leitores!

Fiquem com notícia da Folha, volto depois.

Padre Júlio Lancelotti recebe Prêmio Direitos Humanos 2007


Ele foi ovacionado no Palácio do Planalto por integrantes dos três poderes

FELIPE SELIGMAN
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Ovacionado por mais de 300 pessoas, entre ministros, parlamentares e membros do Judiciário, o padre Júlio Lancelotti recebeu ontem, no Palácio do Planalto, o Prêmio Direitos Humanos 2007, oferecido pela SEDH (Secretaria Especial dos Direitos Humanos). A homenagem, de acordo com o ministro Paulo Vannuchi (Direitos Humanos), foi um "justo e merecido desagravo" ao padre.

"No Estado de Direito, há um princípio fundamental de que as pessoas são inocentes até que transitado em julgado. Podemos estar vivendo mais uma vez o episódio da Escola Base de São Paulo", afirmou Vannuchi ao final da cerimônia, sobre a escola cujos donos, em 1994, foram alvo de falsa acusação de abuso sexual de alunos.

Lancelotti, acusado pelo ex-interno da Febem Anderson Marcos Batista, 25, de dar dinheiro em troca de favores sexuais, não comentou a premiação e também não discursou ao receber um certificado e uma obra do artista plástico Siron Franco. Ele concorreu na categoria "enfrentamento à pobreza", uma das 20 do prêmio.

Em agosto, o padre procurou a polícia alegando que estava sendo extorquido por Anderson Marcos Batista, que ameaçava agredi-lo e denunciá-lo falsamente por pedofilia. A Polícia Civil diz ter provas que comprovam a versão do padre.

Íntegra aqui.

Voltei. É a máquina de reputações da esquerda em atividade. Padre Júlio infelizmente é um dos propagandistas da Esquerda e precisará estar "limpo" para exercer sua campanha eleitoral para o PT. Esse prêmio tem a função de "apagar" os acontecimentos passados, que são mencionados inclusive como fatos de um passado distante.

Acho um contra-senso Padre Júlio receber o prêmio na categoria "enfrentamento à pobreza". Ele é justamente um dos personagens que mais defendem o direito do pobre ser pobre! Ele defende o direito do pobre de morar na rua, elevando as calçadas à categoria de moradia. Se a lógica do Padre Júlio fosse aplicada à sociedade, certamente não existiria mais problema de moradia no mundo.

Bem, isso é parte do jogo. Vemos a próxima cartada em 2008.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: