terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Cardeal Urosa exorta a rechaçar pagão e inexistente "espírito de Natal"

Saudações queridos leitores!

Fiquem com notícia da ACI, volto depois.

Cardeal Urosa exorta a rechaçar pagão e inexistente "espírito de Natal"

Acrescentou que este tempo nos desafia a ser instrumentos da paz de Deus

.- O Arcebispo de Caracas, Cardeal Jorge Urosa Savino, convidou aos paroquianos a festejar neste 25 de dezembro o aniversário de Jesus e chamou a rechaçar o falso e pagão "espírito de Natal", que não tem mais realidade e consistência que os personagens das fábulas.

Rechacemos "as pagãs e fantasiosas patranhas do suposto e inexistente "Espírito do Natal", que não tem mais realidade e consistência que os personagens das fábulas, contos e piadas", expressou o Cardeal em sua carta pelo Natal que será lida em paróquias e colégios.

No texto, o Arcebispo recordou que o Natal "é uma festa especificamente cristã e religiosa que devemos comemorar com espírito de aproximação a Deus e de renovação espiritual"; e recordar que nasceu para nós Jesus, nosso Salvador.

"O Natal nos ajuda a fortalecer nossa esperança: Jesus nos chamou a formar parte de seu Reino eterno. Em meio dos problemas do mundo, apesar da presença do pecado e da morte, nós sabemos que Ele está conosco, como nosso único Rei e Senhor. O nos fortalece e consola em nossas tribulações", expressou.

Do mesmo modo, o Cardeal convidou aos venezuelanos a fortalecer sua identidade católica neste tempo de Advento e Natal, que apresenta a provocação de ser instrumentos da paz de Deus, especialmente a "quem tem em suas mãos as decisões mais importantes para a vida do país".

Também alentou a praticar a caridade viva, assim como desterrar o ódio, o rancor, o egoísmo, e a violência. "É preciso que, superando qualquer tipo de divisão política, social ou econômica, reafirmemos a solidariedade, a fraternidade e a união com todos nossos compatriotas", indicou.

Finalmente, o Cardeal Urosa chamou a celebrar o aniversário de Jesus Cristo em família, sem excessos, com a recepção piedosa dos sacramentos da Reconciliação e a Eucaristia.

"Ajudemos aos mais necessitados; procuremos sempre a paz, demos e peçamos perdão se estamos distanciados de alguém; sejamos cada vez mais generosos e bondosos com todos e especialmente com os mais necessitados, a semelhança de nosso Deus, que se entregou Ele mesmo para nossa salvação. Vivamos a alegria de nossa identidade cristã e o compromisso de pertencer ao Reino de Cristo, como Filhos de Deus, discípulos deles e membros de sua Santa Igreja Católica", manifestou e ministrou "de coração minha afetuosa Bênção Episcopal".

Voltei. Esse é um ponto chave atualmente. Alguns dias atrás minha esposa me indagou se eu havia percebido que cada vez menos casas são enfeitadas para o tempo natalino. Sim, eu reparei. E muito disso se deve a esse espírito pagão, que tenta descaracterizar cada vez mais o Natal, usurpando a data, transformando-o em um mero dia de confraternização, onde as crianças ganham presentes e os adultos celebram a amizade, a tolerância ou seja lá o que queiram.

Como bem lembrou o Cardeal, o Natal é uma festa cristã. Qualquer tentativa de desvincular o Natal de Cristo consiste em usurpar o real sentido da festa. É como ir a uma festa de aniversário e utilizar o salão, os salgadinhos e os convidados para promover sua própria festa à revelia do aniversariante.

Se as pessoas querem comemorar qualquer outra coisa que seja, que o façam, até mesmo no dia de Natal, mas que não tentem desvincular o Natal de seu real significado, como se O Aniversariante não pudesse ser lembrado em Seu próprio aniversário.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: