quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Ordem dos Médicos de Portugal resiste em alterar o Código de Ética

Saudações queridos leitores!

E ainda há aqueles que teimam em achar que nossos irmãos lusitanos são burros. Fiquem com notícia do site da TFP-Fundadores.

Ordem dos Médicos de Portugal resiste em alterar o Código de Ética

Conforme notícias divulgadas pela imprensa portuguesa (*), na quarta-feira, dia 14 de novembro, a Ordem dos Médicos de Portugal informou que não alterará, a pedido do Ministro da Saúde, o artigo 47º do Código de Ética, que considera o aborto como "falha grave".

Dr. Pedro Nunes, presidente da Ordem, disse: «(...) vamos escrever uma carta ao senhor ministro explicando que a independência, autonomia e liberdade dos médicos não são negociáveis e que, por isso, não vamos alterar o nosso regulamento».

Caso o código fosse alterado de acordo com a lei «dir-se-ia que a ética médica não era relevante e que o pensamento dos médicos mudava porque mudava a lei e isso é totalmente inaceitável», afirmou Pedro Nunes.

Correia de Campos, Ministro da Saúde, anunciou nesta quinta-feira que irá apresentar uma queixa ao Ministério Público: «(...) o que vamos fazer é denunciar ao Ministério Público que a Ordem está relutante em cumprir os dispositivos"

. O Ministro exige que os médicos conciliem o Código de Ética com a atual lei no que diz respeito ao aborto.

Com essa ameaça, Dr. Pedro Nunes anunciou que consultará os outros médicos sobre o assunto, mas que qualquer alteração não será por imposição do governo.

O que vemos em Portugal poderá ocorrer no Brasil se aqui vier a ser aprovado o aborto: uma máquina estatal que, por se considerar fonte da ética e dos direitos, impõe seus ditames a toda sociedade. A vida, nesse caso, será apenas um benefício que o Estado cederá a seus cidadãos, ou melhor dizendo, seus operários.
__________________________
Nota:
(*)Última Hora 14.nov.2007 e 15.nov.2007

Voltei. Quanto mais os esquerdistas apertam o cerco, mais clara fica a resistência das pessoas que defendem a vida.

Que Deus nos livre da maldição do aborto!

Fiquem com Deus e divirtam-se,

Fernando.

Nenhum comentário: