domingo, 25 de novembro de 2007

João Paulo II, um Comunista?

Saudações queridos leitores!

É, parece que tem gente que não consegue desgrudar de mim mesmo. Aparecem das profundezas do martírio virtual para me atormentar no scrapbook. Devem estar querendo uma moedinha. Tudo bem, como estou generoso, vou dar dessa vez.

O sujeito me manda um link de uma homilia do Papa tentando justificar o Comunismo. Li o texto completo e juro que não achei nada, mas ele insiste. Confiram a homilia no link e uma análise abaixo.

Achar que esse texto justifica o comunismo nada mais é do que vandalismo intelectual. Em nenhum lugar do texto eu vejo a defesa a métodos terroristas, à expropriação, ao igualitarismo, à eliminação das oposições. O que vejo é a exortação ao cuidado e à dignidade do pobre, o que nunca foi novidade na Igreja. Ou por acaso o cuidado ao pobre é prática monopolizada pelo comunismo? A única coisa que o comunismo fez pelos pobres é matá-los. Os pobres gostam tanto do comunismo que eles fogem de Cuba em botes sem remos só para morrerem nas mãos do capitalismo. Diga-se de passagem, nos países capitalistas eles morrem mais velhos do que certamente morreriam nos países comunistas. Os pobres gostam tanto do comunismo que os religiosos venezuelanos são ameaçados de prisão só por se oporem à proto-ditadura Chavista. Os pobres gostam tanto do comunismo que devem adorar os 100 milhões de mortos que essa ideologia satânica produziu. E que tenta produzir mais agora com o programa sistemático de legalização do aborto que pregam pelo mundo todo.

Onde estão as referências de João Paulo II apoiando o comunismo? Será que são "que não prevaleça a procura dos bens supérfluos e não vos faça esquecer as necessidades dos pobres, seja dos que vivem perto de vós ou dos que vivem longe.".

Ou então "senti-vos sempre mais solidários com o próximo, especialmente os mais necessitados.".

Ou quem sabe "Avança confiante no caminho da nova evangelização, no serviço carinhoso dos pobres e no testemunho cristão em toda a realidade social".

Isso nunca foi novidade. Faz 2000 anos que a Igreja prega a mesma coisa. E nunca precisou do comunismo pra isso. O comunismo e o socialismo já foram infalivelmente condenados pela Igreja. Quem discorda disso, discorda da Igreja e Católico não pode ser.

Quero saber o que fazem quando há um ponto divergente entre a Igreja e o comunismo. Com qual dos dois ficam?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: