quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Pesquisa Revela que Brasileiro ainda Valoriza Família, Fidelidade Conjugal e Abomina o Aborto

Saudações queridos leitores!

Trago uma boa notícia do Pastoralis:

Pesquisa Revela que Brasileiro ainda Valoriza Família, Fidelidade Conjugal e Abomina o Aborto

Sondagem nacional do Datafolha mostra que maioria da população considera a Família a Instituição mais importante em suas vidas e rechaça a prática do aborto ainda que os próprios filhos adolescentes estivessem envolvidos.

(PASTORALIS)
Thiago Amorim Carvalho

Uma importante pesquisa realizada nacionalmente pelo Datafolha, mostra a opinião dos brasileiros sobre questões pertinentes à família.

Em mais de duzentos municípios, cerca de duas mil pessoas opinaram, em agosto passado, sobre temas como aborto, casamento, fidelidade conjugal, homossexualidade, entre outros.

No que diz respeito ao aborto, o resultado foi que para 87% das pessoas ele é moralmente condenável.

Mais ainda, os pais declararam que dariam seu apoio a um filho ou filha no caso de uma gravidez na adolescência, rejeitando o aborto mesmo nesse caso. Só 1% dos entrevistados aconselhariam o aborto em qualquer situação. Não chegam a 1% os que aconselhariam o ato caso o pai da criança não quisesse assumir o filho, nem os que dariam esse conselho por acharem que a filha seria muito nova para ser mãe.

De modo semelhante, em tempos nos quais se discute a legalização de alguns entorpecentes, 85% dos brasileiros também acham o consumo de maconha moralmente errado.

Apesar de todo apelo sensual nos dias atuais, os que desaprovam o sexo entre não casados (38%), surpreendentemente, superam ligeiramente os que acham esse comportamento moralmente aceitável (35%).

Para a maior parte das pessoas, ser fiel é a principal qualidade esperada de um cônjuge. 38% apontam essa virtude como o fator primordial à felicidade do casamento, à frente até mesmo do "amor" (35%).

Por sua vez, a infidelidade, tem 53% da preferência quando o tema são as razões da infelicidade no matrimônio, uma maioria esmagadora que supera, mais uma vez, a falta de amor (15%).

A traição do cônjuge é o principal motivo alegado para separação pelas mulheres, enquanto o ciúme o é pelos homens.

Outra surpresa: O brasileiro quer se casar e vontade é maior em jovens, especialmente homens.

"A maioria (63%) dos brasileiros que não estão casados, nem vivendo com alguém no momento, pretendem mudar essa situação. Percebe-se que a vontade de casar é mais frequente entre os homens do que entre as mulheres. E que, quanto mais jovem o entrevistado, maior esse desejo

Entre os homens que não vivem com alguém no momento, 71% pretendem passar a dividir um lar com outra pessoa. Entre as mulheres nessa condição essa taxa é de 55%, ou 16 pontos percentuais menor. Entre as mulheres que têm 41 anos ou mais a taxa das que não querem casar chega a 59%.

Entre os que têm entre 16 e 25 anos, e não estão casados no momento, a taxa dos que pretendem casar ou viver com outra pessoa chega a 82%. Ela é de 71% entre os que têm de 26 a 40 anos. Já entre os que têm 41 anos ou mais, 50% não pretendem se casar, ante 29% que têm essa intenção" (Datafolha)

A pesquisa também mostra que a rejeição moral ao comportamento homossexual diminuiu nos últimos tempos e que a Religião ocupa o quarto lugar na relação de importância, atrás da família, estudo e trabalho.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: