sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Fiel da IURD perde ação contra a Globo

Saudações queridos leitores!

Como percebem, hoje acordei com vontade de bater em algém e a IURD foi o primeiro alvo na minha frente. Vou tirar o dia para, em palavras de Edir Macedo, "cutucar o fígado" da Record e da IURD. Hoje o dia vai ser dedicado a relembrar o histórico recente da seita do Edir Macedo, que de tanto cantar de galo vai ter que se explicar para a Polícia sobre como conseguiu dinheiro pra comprar a Rede Record.

Fiquem com um trecho da reportagem do Consultor Jurídico (íntegra aqui). Volto depois.

RCTV é exemplo para juiz livrar Globo de indenização

O fechamento da rede venezuelana RCTV foi um dos argumentos usados pelo juiz Geraldo Fernandes Fidelis Neto, titular da 1ª Vara da Comarca de Juína (MT), para absolver o programa Linha Direta, exibido pela Rede Globo. A RCTV foi fechada pelo presidente Hugo Chávez.

Uma fiel da Igreja Universal do Reino de Deus entrou com uma ação de indenização por danos morais contra a Globo por causa de uma reportagem veiculada no programa policial em 30 de novembro de 2006. Ela alegou ter sido ofendida com a declaração de um dos entrevistados.

Nesse dia, o programa narrou o caso conhecido como “Lucas Terra”, a história de um adolescente assassinado por um pastor da Igreja Universal, na Bahia. O corpo do garoto foi queimado, após sua morte. Na reportagem, José Carlos Terra, pai do menino, comenta: “Eles fizeram a Fogueira Santa com meu filho”.

“A liberdade de expressão é direito supremo da democracia, consagrado pela nossa Constituição. Contudo, o Brasil tem assistido indignado várias tentativas de afronta a essa garantia constitucional, inclusive, infelizmente, por decisões de seus Poderes, que estabelecem, na prática, a censura prévia. Essas tristes medidas só encontram amparo em regimes totalitários e ditatoriais, como se vê, atualmente, na Venezuela, com a arbitrária negativa à renovação da concessão do popular canal RCTV. Isso não acontecerá, ao menos nestes autos”, anotou o juiz federal Geraldo Fernandes Fidelis Neto na decisão concedida na segunda-feira (25/6).

Segundo Fidelis Neto, o fato do programa não ter mencionado o nome da fiel nem da igreja não permite indicar que o ritual tenha acontecido na Universal. “O mesmo raciocínio torna-se inevitável no que toca a ilegitimidade da Rede Globo de Televisão para responder à presente demanda, porquanto um dos entrevistados pelo programa jornalístico transmitido foi quem usou o termo ‘Fogueira Santa’, jamais a reclamada, como reconhece a própria autora da inicial”, afirmou.

Fidelis Neto rechaçou também a atitude de alguns membros da igreja. A mesma petição foi copiada e distribuída para os adeptos da Igreja Universal em diversos lugares do Brasil, incitando-os a ajuizarem ações. “Ora, essa circunstância causa, no mínimo, estranheza, pois caracteriza, de forma sem igual, a tão propalada indústria da indenização por dano moral. Ademais, esse fato robustece a alegação de que não foi a reclamante quem se sentiu moralmente lesada com a aludida matéria jornalística, mas sim, outrem, que de forma oculta, busca se utilizar de massa de manobra para seus interesses escusos. O Judiciário não é palco para competições sensacionalistas, levando-se em conta ser de conhecimento público que a Igreja Universal é proprietária de outra rede de televisão, maior interessada em prejudicar a reclamada”, alertou.

Estou de volta.

Viram só como as coisas funcionam? A seita do Macedo instruiu aos seus fiéis a ajuizar ações contra a emissora que é a inimiga número um da IURD e forneceu-lhes cópias do programa como munição para tal. Penso que se o crime tivesse sido cometido por um sacerdote da Igreja Católica a mídia em peso estaria pedindo a cabeça do religioso, como já aconteceu em outros casos, sempre com a Record capitaneando a turma. Não quero dizer com isso que um sacerdote que cometa um crime seja inocentado, mas que a Record, a mando de seu líder supremo vai, no máximo, dar uma notinha sem o mínimo de imparcialidade.

Quanto a ação, é mais uma batalha na guerra que as duas emissoras estão travando. Edir Macedo não perdoa até hoje a maneira como a Rede Globo noticiou sua prisão e a exibição da mini série "Decadência", onde Edson Celulari interpretava um pastor corrupto e usava frases de Edir Macedo. A mini série acabou sendo um tiro no pé, pois foi mal aceita por praticamente todo o meio protestante.

Edir Macedo diz que vai cututcar o fígado da Globo até ela cair. Mas será que ele suporta um gancho no queixo?

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: