quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Ditadura gay lança campanha escandalosa

Saudações queridos leitores!

Até onde vai a falta de ética, profanação de valores e a manipulação promovidos pelos segmentos homossexuais da sociedade. Na Itália (justo lá!) uma campanha institucional contra a discriminação sexual mostra a imagem de um recém-nascido com uma pulseira de identificação onde, em lugar do nome, se lê "homossexual". A campanha patrocinada pelo Ministério de Igualdade de Oportunidades que recebeu o apoio de associações de homossexuais e parte da esquerda, enquanto outros setores a classificaram como "horrorosa".

É uma tática vergonhosa. Ao usar a foto de um recém-nascido quer induzir as pessoas a pensarem que a sexualidade é algo inerente à pessoa, que já nasce com ela. Essa afirmação não tem nenhuma base científica, psicológica ou sociológica. A foto da criança está sendo usada claramente com viés ideológico. Ao fazerem isso, atacam diretamente os valores educacionais que norteiam o mundo moderno. O presidente da associação homossexual italiana Arcigay, Aurelio Mancuso, disse que a campanha está "totalmente na vanguarda" na defesa dos direitos dos gays e afirmou que a Itália deveria "se adequar" à visão da Toscana sobre o assunto.

Isso não consiste em defesa nenhuma de direitos dos homossexuais, mas sim em uma afronta direta à maioria Italiana que repudia o comportamento homossexual. Como bem nos alerta Olavo de Carvalho, o atual movimento gay é a materialização possante e assustadora de um projeto de revolução civilizacional que, a pretexto de proteger oprimidos, não hesita em entregá-los às feras quando isso convém à sua grande estratégia.

Se a causa gay prosperar como eles querem, a humanidade estará exytinta.

Fiquem com Deus e divirtam-se,
Fernando.

Nenhum comentário: